Início de Exploração da Área de Deposição Comum de Borba - ADC3

Início de Exploração da Área de Deposição Comum de Borba - ADC3

No dia 1 de Julho, ocorreu o início de exploração da Área de Deposição Comum de Borba (ADC3), sendo a primeira plataforma logística para a recepção, armazenagem e valorização de todas as tipologias de resíduos e subprodutos provenientes da exploração dos mármores.
A ADC3 destina-se a apoiar as actividades extractivas e transformadoras de mármore, valorizando os respectivos subprodutos, tendo em vista o seu reaproveitamento, escoamento e comercialização.
 
A construção da ADC3 de Borba, junto à zona industrial do Alto dos Bacelos, cuja primeira fase envolveu uma área de 20,8 ha, resultou de um projecto da empresa EDC MÁRMORES – Empresa Gestora das Áreas de Deposição Comum dos Mármores, S.A, uma parceria público-privada, cujo corpo accionista é composto pelas Câmaras Municipais de Borba, Vila Viçosa, Estremoz e Alandroal, pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional e pela Assimagra – Associação Portuguesa dos Industriais de Mármores, Granitos e Ramos Afins.
 
Numa primeira fase, esta infra-estrutura está preparada para receber, armazenar e valorizar todas as tipologias de resíduos produzidos pelas empresas, em áreas específicas para cada actividade e aproveitamento económico dos materiais recicláveis, para a deposição de excedentes e para o controlo e expedição de materiais. A capacidade da ADC3 de Borba é de 11.000.000 m³. A recolha dos resíduos processar-se-á de modo selectivo logo na origem, de forma a permitir um armazenamento organizado e um ciclo de utilização com grandes valências económicas e ambientais.
 
A EDC Mármores lançou por concurso público a exploração do centro na qual a Lena Agregados foi a empresa que venceu o respectivo concurso, passando desta forma a usufruir dos direitos de exploração a partir do dia 1 de Julho de 2009, por um período de 10 anos.

Data da notícia: 7 Julho 2009